domingo, 30 de dezembro de 2012

O Brasil de verdade não está na Globo

Quem vê novela deve achar que o Brasil vai de mal a pior, que há exploração de menores em todas as esquinas, trabalho escravo e tráfico de bebês. Para os autores da Globo a criminalidade manda no país e a todos somos corruptos.

A economia está no buraco segundo os padrões artísticos globais. Todos estão desempregados, procurando ocupação até em outros países. A maioria se arrisca a ser serviçal em qualquer local de quinta categoria na Europa, pois é melhor do que ficar aqui onde aparentemente não há nem o que comer.

Os poucos que sobram no país são os malandros, que vivem de bicos a tomar sol nas lajes de suas palafitas. Ganham dinheiro alugando bebês para pedir trocados no sinal ou até mesmo roubando, quando não estão envolvidos com negócios ainda mais escusos como drogas e contrabando.

Se você não concorda com a forma com que o país é retratado nas novelas da Globo então junte-se à quem escreve este texto. Este não é, nem de longe, o país que vivemos.

Um péssimo exemplo da forma com que o país é retratado está na novela principal, chamada Salve Jorge, onde a Globo quer vender a ideia de que uma adolescente bonita, que mora na cidade grande e possui muitas oportunidades, está desempregada e desesperada o suficiente para aceitar ser garçonete em um bar no exterior. E veja só que não é em Paris ou Milão, mas sim nos confins da Turquia. Alguém já avisou a este pessoal de criação que o desemprego está em 4%?

Posso até acreditar que isso acontece em certos casos, mas é ridículo pensar que este seja o padrão para a juventude no Brasil. A rede Globo vê o país como a republica das bananas, onde não há polícia e a única oportunidade é ser bandido.

Esta é uma realidade que parece ter nascido do imaginário de quem mora naqueles conjuntos apart-hotel da Barra da Tijuca, região nobre do Rio de Janeiro. É para falar sobre pobre na novela? Então vamos descrevê-lo como malandro e ladrão.

Enquanto o Brasil da Globo está preso à década de 80, o de verdade, na qual todos vivemos, está  crescendo fortemente com o vigor de um grande e promissor mercado interno. Quem quer trabalhar está com certeza empregado e muito possivelmente com bom salário. Deve ser cada vez mais difícil convencer que estamos em um barco furado, mesmo se o objetivo fosse apenas comover o público.

Mas tenho certeza que não é apenas para fazer drama e gerar audiência. A Globo utiliza todo o seu espaço, incluindo suas novelas,  para induzir o povo a rebelar-se contra o governo. Eles querem vender a imagem de que o Brasil está na pior para que a votação de seus políticos venerados seja melhor nas próximas eleições. Os partidos que são amplamente apoiados pelos Globais todos nós conhecemos, são aqueles que defendem a redução de impostos, o neoliberalismo e o governo mínimo.

No fundo, a cúpula da Globo ganha altos salários e está de olho em reduzir seu imposto de renda, IPVA e IPTU e outros gastos. Pensamento de quem não dá a mínima para o país.

Mas enquanto a economia continuar a todo vapor ninguém dará trela para mais esta tentativa sórdida da emissora dos filhos do Marinho. O brasil continuará crescendo vigorosamente mesmo com toda a força para baixo que faz a falsa intelectualidade de quem produz este tipo de conteúdo.

Temos nós mesmos que mostrar nosso país para o mundo, pois a mídia sempre jogará contra. Somos um povo criativo, trabalhador e feliz. Totalmente diferentes das mocinhas bocós e dos vilões mais ridículos do que o esqueleto do He-Man.

Não estamos desesperados para ir para outro país buscar a vida! Este é não é mais nosso Brasil há pelo menos 10 anos, dona Globo. Acorde para cuspir!