quarta-feira, 1 de março de 2017

X-tudo em dois pães

O tempo fecha quando um forasteiro entra na lanchonete de uma cidade pequena e pede o maior sanduíche do cardápio: o x-tudo em dois pães. Quem ele acha que é? Ouve-se no abafado ambiente.

A moça que atende vacila e gagueja, perguntando se o cliente tem mesmo certeza. Com a
confirmação do rapaz, que aparentemente estava mesmo com fome, a atendente chama o dono do estabelecimento que pergunta ao desconhecido:

- Esse sanduíche é para você e mais quantos?

- Só para mim. Estou faminto...

Acostumado com a cidade grande e seus hambúrgueres: King, Donald e Bob's. Confiava o estrangeiro que aquele sanduíche ainda precisaria de acompanhamento extra. Peça pelo número! Ele lembrou.

O cozinheiro recebia o pedido e murmurava algo incompreensível. A loja esvaziava lentamente em um prelúdio do que estava a vir. Havia um desafio lançado e podia se ouvir música de faroeste no ar.

A chapa quente foi limpa e todos os outros pedidos cancelados. Toda a atenção se voltava à moça que retirava, com as mãos trêmulas, uma quantidade enorme de mantimentos da geladeira embaixo do balcão.

Em alguns segundos, com a agilidade de um ninja, quatro ovos foram quebrados e assim como seis pedaços de carne tremulavam no metal quente. Começava a preparação de um banquete. As carnes foram picotadas formando um monte empilhado capaz de alimentar uma modesta família. Em cima delas uma quantidade enorme de queijo derretia formando um vesúvio de colesterol.

Um observador desatento acharia que estavam sendo preparados vários pedidos. Ainda mais porque, ao lado do montinho de carne, se instalaram quantidades abissais empilhadas de frango e lombo.

O frango, logicamente, não era gorduroso o suficiente para acompanhar os outros ingredientes e receberia cobertura extra de Bacon, além de maionese.

Uma das atendentes começou a cortar dois pães do tamanho de um prato de sopa com confiança revigorada. A medida que cada um deles foi recheado com as carnes, uma senhora que passava na calçada fazia o sinal da cruz e apressava o andar.

Quando o frango, lombo, carne e bacon já estavam nos dois andares de cada um dos dois pães, ocupando 120% do espaço destinado ao sanduíche, o cozinheiro fazia milagres e ainda encaixava milho, mais maionese, ketchup, tomate e uma folha de alface, para ficar mais leve.

Foi aí que o forasteiro percebeu que tudo aquilo era para ele. Pediu para viagem, com voz vacilante, para desapontamento da plateia que acompanhava de longe.

Pagou rápido e levou aquilo tudo em dois sacos de supermercado. Compras do mês, alguém pensaria. Enquanto seguia seu caminho o dono da loja ria como chefe de fase de videogame, certamente pensando que ninguém jamais se atreveria a pedir um x-tudo em dois pães sem trazer vários amigos para ajudar. Esses turistas...

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

Cristiano Ronaldo digital - o incomparável!

Eu jogo PES 2017 online no meu PS4 e recentemente tenho escolhido o Chelsea. A defesa do time inglês é muito boa defesa e enfrenta bem os times grandes. Uma vitória contra o Real Madrid, por exemplo, vale mais quando você joga com times mais fracos, por isso eu tenho consigo bons resultados. Mas esta é a história de um jogo que eu perdi para o Real Madrid. O sistema me pareou contra um adversário de ranking 900, que além de rápido, preciso e eficiente, gostava muito de fazer muitos gols com o craque Cristiano Ronaldo: o jogador intangível, imparável e incomparável. Pelo menos no video game. Antes de começar a partida o tal usuário me manda uma mensagem de voz ameaçadora. Pela tom não me parece uma criança ou adolescente. Ele diz que vai "me destruir" se eu ficar "cruzando bola na área". Ai que meda! Então começa o jogo e o meu Chelsea imprime o estilo ideal para impedir as bolas ao astro do Real Madrid, ou seja, só chutão para todos os lados. Depois de 30 minutos de uma partida ruim de assistir, a bola finalmente sobra uma vez para o Ronaldo e ele faz o primeiro gol. Aí o meu adversário paralisa o jogo e depois de um tempão me manda outra mensagem de voz. Em meio a gritos ele continuava a me ameaçar "fisicamente". Ai meu deus que meda!

Recomeça o jogo e o Chelsea domina o meio campo. Na verdade, domina os chutões e lançamentos para todos os lados: o estilo dos campeões. No final do primeiro tempo eu consigo um passe milagroso e o meu atacante mais alto empata o jogo. Um a um! Conseguir um empate contra o Real Madrid com um time inferior e contra um adversário de ranking alto é para comemorar. Não há mais mensagens de voz neste momento. O segundo tempo começa e o jogo fica bem difícil. Bola para o Ronaldo toda hora. Meu time não tem ninguém do porte desta estrela, que toma um balde de Biotônico Fontoura por partida. Depois de algum tempo o inevitável acontece e o inigualável sobe mais que um drone e marca o segundo do time espanhol. Mais uma vez o jogo é interrompido para que o menino enxaqueca me mande outra mensagem de voz. Aparentemente ele está muito feliz, rindo e contando vantagens. Me diz que não "adianta" pois seus dotes no controle são os mais velozes, hábeis e competentes. Na verdade, foi o que entendi da mensagem em meio a algumas poucas palavras que não eram palavrões. Mas não tem nada não! Meus astros, embora de menor porte, reiniciaram a partida com a determinação de uma mosca voando para dentro de um ventilador. Foram necessários vários ataques fulminantes iniciados com chutões sem sentido para que a bola chegasse novamente no meu modesto atacante que completou para o gol! O milagroso empate ocorre novamente! Tem ideia do quanto isso é raro? Ter feito dois gols no mesmo jogo coloca o insuperável jogador português em tal frenesi futebolístico que nem um tanque de guerra seria suficiente para impedir que Cristiano Ronaldo fizesse dezoito gols seguidos, doze com a bunda direita e seis com a esquerda, que é a ruim. Mas não foi o que ocorreu. Minha trupe de jogadores, controlado pelo joystick suado e os competentes bicos para todo o lado conseguiram domar a fera, que só ganhou com outro gol de Ronaldo porque no fim da partida o incomparável voou como um cometa e acertou em cheio a bola, em golpe digno de Mortal Kombat. Real Madrid 3 x 2 Chelsea foi o placar final, com apenas três gols do gênio português. Fiquei feliz em perder por pouco e ainda fazer frente até o final. Mas aparentemente a vitória não foi suficiente, pois meu adversário mandou mais três mensagens de voz com trocentas injúrias e gritos dos mais variados, incluindo algumas sugestões de onde eu deveria colocar o joystick ao final da partida. Em nenhum momento respondi qualquer coisa ou dei a entender que o enfrentaria de igual para igual. Naquela tarde a derrota no PES me pareceu muito honrada e a vitória, para meu adversário, foi aparentemente amarga: precisou tentar me humilhar para adoçar suas conquistas. Se algum dia você ler esta crônica, caro jogador de PES 2017, procure imediatamente ajuda psiquiátrica. A vida real não possui um Cristiano Ronaldo extraordinário para ganhar suas batalhas, e tenho pena do dia que você vai estiver no lado dos perdedores.

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

Nova Cedae será monopólio privado de água e esgoto

A Cedae será privatizada a preço de banana e toda a grana que o estado colocou na empresa, ao longo de anos, será doada para algum "peixe" que já está preparado para assumir a sacanagem.

Este grupo que controlará o serviço de água e esgoto do Rio de Janeiro vai ganhar muito dinheiro. Muito mesmo. E fará isso sem desembolsar quase nenhum recurso para obter um monopólio cuja contratação é obrigatória por qualquer empresa ou pessoa física do nosso estado.

Mesmo que não aumente a cobrança ou sucateie o serviço, esta nova Cedae pode dar muito lucro privado com o suado dinheiro público de impostos que construiu toda a infraestrutura.

Mas lógico que todo este mar de grana não será suficiente e ainda teremos que suportar forte aumento nas contas e total descaso com o consumidor. Será, em pouco tempo, um novo esquema "OI", só que sem concorrência!

Daqui há alguns anos a nova CEDAE estará "falida" com uma dívida enorme que será perdoada pelo governo, que colocará ainda mais grana para a mamata.

Assim, o governo Temer continua fingindo-se de morto e piorando a crise para forçar a venda de tudo que os estados possuem. As gerações futuras vão pagar caro por isso, tanto na conta de água, que será monopólio, como nos impostos e recursos que serão desviados para continuar alimentando a praga privatista que agora instalou-se com força no Brasil.

segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

UERJ em crise

Outro dia eu publiquei algumas críticas sobre as disciplinas da Engenharia, citando inclusive a grade da UERJ, onde me formei.

As críticas se encaixam em todas as faculdades, mas o problema é que este foi um momento inoportuno para esta discussão, considerando o atual estado de sucateamento da UERJ, cujos funcionários estão sem receber desde novembro. Existe inclusive risco de fechar novas turmas para 2017, ou até mesmo fechar definitivamente as portas.

Triste perceber como a administração do estado do Rio continua não dando a mínima. O governo federal vai no mesmo caminho e lava as mãos para o problema. Dentro em breve, não teremos mais a opção de uma faculdade pública e urbana no Rio de Janeiro.

Eu gostaria de poder continuar criticando o ensino, criticando a falta de realidade de alguns professores e a grade da Engenharia. Mas no atual momento, isso só dará forças às ideias privatistas.
A UERJ é nossa! Falo mal e critico porque quero o melhor para a nossa educação, não porque tenho interesse em transformar a universidade em balcão de negócios sem nenhum objetivo construtivo.

WiFi via satélite

Não sei se vocês sabem, mas quem tem internet OI geralmente possui um modem Technicolor que habilita automaticamente, sem qualquer controle ou ciência do usuário, um hotspot WiFi chamado Oi Wi-Fi Fon. Em outras palavras: qualquer pessoa cadastrada na OI pode acessar sua internet sem te pagar nada por isso.

A OI diz que "compartilha apenas 1M bit/s" da sua internet com usuários "cadastrados" só quando estiver "ocioso" e quando "você não estiver usando". OK, eu até aceitaria se me pagasse uma grana. Sem ciência do usuário é sacanagem...

Eu já fiz de tudo para desabilitar este WiFi, que para piorar e causar interferência, ainda é no mesmo canal da sua rede. Às vezes, até parece que você conseguiu desligar a desgraça, mas alguma coisa acontece e ela volta novamente. A minha solução final foi desligar completamente o WiFi e usar um roteador externo.

Quando o técnico veio aqui eu descasquei e pedi um modem novo, qualquer um, que pelo menos não forçasse o compartilhamento de um serviço. Ele teve a coragem, a astúcia, o sacanagem, de me dizer que a rede OI WIFI não vinha do meu modem: era de um satélite.

Eu desliguei o meu modem e a rede sumiu por um tempo, depois reapareceu, pois todos os vizinhos que tem OI tem esta droga habilitada. Eu não tinha como provar para ele que a rede não vinha "do satélite".

Você sabe qual a distância até o satélite? São 35 mil quilômetros! Eu ficava cada vez mais puto. Você acha que algum celular vai captar WiFi vindo de um satélite? Um sistema que não funciona mais de 500 metros! Você acha que celular tem antena parabólica? Você tá de sacanagem?

Mas a rede WiFi não sumia quando eu desligava o modem, apenas reduzia um pouco a potência. Pode até ser que a OI esteja colocando roteadores nos postes, mas no satélite é sacanagem.
O pior que o roteador da Technicolor da OI é tão ruim que o WiFi não passa de uns 30 metros. Que tecnologia avançada!

No auge da discussão o técnico me falou que onde ele mora, longe pacas, nem me lembro o nome, ninguém tem OI na vizinhança dele e mesmo assim tem a tal rede "OI WiFi de satélite".

Então eu perguntei, mudando totalmente de assunto: "nem você, que é funcionário da empresa, tem internet da OI?"

Ele respondeu: "eu não! Tenho um modem Vivo que é bem melhor!".

Eu desisti de discutir e saí rindo. Sábios são estes técnicos da OI. Não é?