segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

Linux ainda não serve para o pequeno usuário

Sou entusiasta do linux desde 1996, quando comprei minha primeira distribuição Red Hat conectiva. Naquela época, o início da internet no Brasil, o linux parecia ser uma interessante opção em face aos horríveis windows 95.

Segurança e confiabilidade era o que buscavam os usuários do sistema operacional livre. O linux rodava de forma mais segura, travando menos, dando menos erros. Só que não era para qualquer um, o suporte a hardware era precário e a instalação era difícil.

Particionar o HD, incluir partições de swap e instalar o software gerenciador de inicialização exigia um conhecimento que apenas técnicos possuíam. Tudo isso dava diversos problemas, diferentes a cada máquina. Sem contar que o sistema tinha que conviver com o windows, o que por si só já era bastante difícil.

Mesmo depois de instalado, os problemas continuavam. Lembro-me que foi bastante difícil colocar minha placa de áudio para funcionar, uma soundblaster AWE32 legítima. Já o modem, um Zoltrix, foi totalmente impossível.

E hoje, 13 anos depois, como está o linux? Há pelos menos cinco anos estou distante do software livre, assim resolvi dedicar um tempo para fazer uma avaliação. Para isso, utilizei uma máquina antiga, um pentium III 500MHz com 768M bytes de memória RAM e dois HDs de 40Gbytes. Um pouco jurássico, é verdade, mas adequado para o teste já que o windows XP funciona normalmente.

Resolvi escolher a distribuição ubuntu [1], pois é a primeira que aparece quando digita-se linux no google [2]. Existem outras distribuições como a Mandriva ou o Fedora, mas pensei como usuário comum e resolvi seguir o mais popular.

Instalar o ubuntu foi difícil assim como em 1996. Tentei um instalador via windows mas não funcionou pois travava na inicialização da instalação. Há também um CD alternativo com um instalador em modo texto, isso acabou sendo mais prático depois dos diversos erros no CD original. Houve ainda uma dificuldade adicional devido a uma incompatibilidade com minha placa mãe, o que me obrigou a trocá-la por outra.

É conhecido o fato de que o Linux precisa particionar o seu HD em duas partes, uma para os arquivos do sistema operacional e outra para o swap [3]. Além disso deverá haver uma terceira parte que ficará com o windows e não pode ser mexida. Embora o Ubuntu possua um particionador automático para executar este trabalho, isso ainda é complicado e cheio de falhas. Nem sempre o automático escolhe a melhor opção.

Para concluir, a instalação da distribuição Ubuntu, a mais conhecida de linux, ainda não é confiável o suficiente para que se garanta que vai funcionar. Mesmo quando não funciona, ainda existem problemas graves pois o erro que impediu a instalação não é mostrado claramente e ainda acontecem acidentes como sumir com o windows (o que aconteceu umas três vezes).

Depois de alguns dias de pesquisas, incluindo a troca da placa mãe, finalmente consegui testar o linux. Algumas coisas me chamaram a atenção, melhorias significativas em relação às distribuições antigas que eu usava:

- A interface gráfica padrão, o Gnome, é um pouco lenta, mas é agradável. Possui links para tudo que o usuário precisa como planilhas e editor de texto (vem com o open office), editor de imagens, ferramentas administrativas e gravador de CD/DVD.
- O suporte a hardware também é bom, minha placa de áudio, rede e a aceleração de vídeo funcionaram sem precisar de drivers.
- Sobre a rede, essa é a primeira distribuição de linux que finalmente acessou a minha rede local e copiou arquivos compartilhados dos computadores windows que possuo. Bastante interessante, isso melhorou muito.
- O firefox do ubuntu dá completa compatibilidade com a internet, pode-se acessar internet banking ou qualquer outra coisa que você precise. Isso também melhorou.
- O ubuntu possui um sistema semelhante ao Windows Update, que funciona muito bem. Atualizou o Kernel (a base do sistema operacional) e pediu para reiniciar. Funcionou normalmente.

No entanto, o Linux ainda está muito longe de ser util para o pequeno usuário. A instalação é difícil e a manutenção do sistema é bastante complexa. A maioria dos usuários consegue corrigir pequenas falhas no windows ou baixar algum software que o faça. Mas no Linux tudo fica mais enrolado, instalar programas, por exemplo, ainda é tarefa complexa, que inclui baixar pacotes de um certo tipo ou configurar um repositório. Sem contar que às vezes um novo programa só funciona com algumas linhas "sudo" de terminal, sem condições para quem não possui um técnico especialista em casa.

A falta de aplicativos e a dificuldade de suporte fazem o linux ainda estar longe do usuário e perto de malucos como eu, que se divertem com mensagens tipo "Kernel Panic", "This ATA drive is too slow, please be patience" e "changing HD size from 0 to 4000000".

Será que algum dia o linux se tornará uma opção real ao windows? Será que o software livre é uma utopia? Algum dia veremos a quebra deste monopólio Microsoft? Pensarei nestas perguntas enquanto me divirto com as mensagens e configurações malucas do linux! Um sudo feliz natal para vocês!

terça-feira, 14 de julho de 2009

2 para mim, 1 para você...

"O que o povo brasileiro precisa mesmo é de emprego!"
"O Brasil precisa de uma reforma trabalhista para gerar mais empregos."
"Vamos diminuir impostos e gerar mais empregos."

Fale estas frases em público que veja o que seus amigos e familiares acham sobre estas idéias.

Já fiz isso e adianto o resultado, a maioria deverá responder que estão corretas estas ideologias. Muitos não estarão pensando por si, mas repetindo o hipnotismo que cerceia a intelectualidade brasileira. Vou usar este espaço para mostrar por que descordo de tanta gente.

Primeiramente, deve-se desfazer a idéia de que emprego distribui renda. Ora, no capitalismo ninguém joga para perder. Para cada funcionário que uma empresa contrata por um salário X ela espera receber um lucro maior que X pelo trabalho deste funcionário. Nada errado nisso, é a base da boa administração e do capitalismo. Empresas com lucro menor que o salário dos funcionários estarão fadadas à falência. Esta é a teoria do "2 para mim, 1 para você".

Cada vez que o lucro das empresas é recolhido e os salários são pagos, os donos ou acionistas das empresas estarão mais ricos que os trabalhadores que geraram a riqueza, pois receberão mais fatias do bolo. Neste modelo concentra-se renda cada vez que a economia roda, e é assim em todo mundo.

Os Estados Unidos são um ótimo exemplo disso. Poderia-se imaginar que a economia mais rica do mundo também deveria possuir o menor número de pessoas sem casa própria ou ganhando menos do que o custo de vida, mas não é. Deveria ser o país com a melhor distribuição de renda mas não é isso que ocorre. Guardadas as diferenças de escala, os Estados Unidos têm problemas sociais tão graves quanto o Brasil, e a riqueza do país também está nas mãos de poucos.

Ao final de muitas rodadas de recolhimento dos lucros e pagamento de salários, grande parte da população estará com apenas uma pequena fatia da riqueza do país, talvez nem mesmo o suficiente para sobreviver. A maior parte estará concentrada no bolso de poucos. Estes terão poder para dominar os jornais, a televisão e a mídia como um todo. Terão poder e dinheiro para eleger quem estes quiserem, para mandar e desmandar. Parece familiar?

A única coisa capaz de parar este processo e impedir a concentração total de renda chama-se imposto. Ninguém gosta de pagar, eu incluído, mas é a única forma. O governo, supostamente bem intencionado, recolhe uma parcela do lucro das empresas e das pessoas e reinveste na sociedade. Paga os salários dos professores, dos servidores públicos e investe em educação, saúde, bem estar social, na cultura e em outros interesses.

Fazer reforma trabalhista e reduzir impostos poderá ser muito bom para a economia, mas será terrível para a concentração de renda. Mesmo que mais pessoas possam ter emprego, a teoria do "2 para mim, 1 para você" continuará valendo e só conseguiremos possuir uma fatia muito pequena da riqueza do país, enquanto um pequeno grupo de empresários e políticos controlará toda a economia.

E se o governo não for bem intencionado? Não tem problema. Na próxima eleição eu posso votar na oposição ou no grupo político que eu achar ter melhores intenções. Ninguém pode votar contra Carlos Slim, o o milionário mexicano das privatizações. Fica muito mais difícil acabar com a concentração de renda uma vez que ela já é muito grande.

Sempre que um político ou comentarista da televisão vier com papo de reduzir impostos para gerar empregos lembre-se que ele defende as idéias do patrão dele, e que a fatia do bolo relativa aos impostos poderá perfeitamente voltar para gente, mas a concentração de renda nas mãos dos grandes empresários nunca voltará. "2 para mim, 1 para você..."

China education does not "play good" [SIC]!

Há alguns anos uma certa revista que não vale nada, cujo título começa com V e termina com eja, publicou algo que o PIG muitas vezes repercutiu como falha de governo no Brasil e mérito do capitalismo Chinês - a educação.

Sabemos que a nossa educação não é lá essas coisas. Embora a maioria das crianças esteja nas escolas [1], a qualidade fica a desejar. Houve muitos avanços no governo Lula, mas precisa melhorar muito para ficar razoável.

Só que o Brasil é uma democracia, e isso significa que a imprensa, ONGs e a sociedade civil podem fazer suas críticas mostrando como é ruim o salário do professor de nível fundamental, como são péssimas as condições em sala de aula, ou em outras palavras, cobrar para que nossos governantes resolvam os problemas de nossa educação.

E a China? Sabemos que no país da ásia prospera uma pesada ditadura. Não se pode criticar abertamente o poder vigente! Todos os dados sobre educação, além de muitos outros, são fornecidos pelo próprio governo. Tudo furado, certamente.

Não se ouve nada de ruim sobre a educação Chinesa porque estes comentários foram suprimidos na marra. Há severo controle sobre os meios de comunicação e a internet. Até mesmo falar sobre direitos humanos já pode dar cadeia, imaginem vocês se algum Chinês vai reclamar por melhores salários em uma escola de nível fundamental, ou dizer que as condições de trabalho não são as melhores. É uma ditadura! Se quiser viver vai ter que baixar a cabeça e concordar.

Por que será então que a revista Veja publicou uma edição especial sobre a China mostrando que lá existe educação de primeiro mundo? Ora, por que o Brasil naquela época estava com um crescimento muito baixo, enquanto a China crescia na faixa dos 10%. Todo mundo sabe que o objetivo deste semanário do esgoto jornalístico é falar mal do governo Lula, mesmo sem fatos, dados, ou qualquer verdade. Nenhum jornalista da revista foi à china apresentar versão imparcial sobre o assunto, até mesmo por que estava arriscado a levar bala se o fizesse.

Eu também não fui à china, mas apresento-os provas da total e completa falta de coerência em erros risíveis, crassos, ridículos, presentes na maioria dos produtos de origem chinesa. Estes erros mostram o nível da qualidade da educação chinesa. Vejam alguns deles:

Defecator! Ninguém na fábrica era capaz de usar o Google.

Crap your hands? Corretor ortográfico era uma boa!


Bolo em garrafa!

Mais um erro de falta de corretor ortográfico

Os produtos apresentados aqui não são exceções, mas sim o padrão dos produtos Chineses. E a educação? Ninguém em uma fábrica de 50 ou 100 operários foi capaz de usar o Google translator? Ninguém tinha nível de primeiro período de inglês para perceber absurdos? Ninguém podia usar o msn e perguntar qual era o correto? Senta aí que tem mais:

100% happy virus! Sem comentários

Galfos [SIC] e Colheres usadas! Um bom presente...


Por favor trazer de casa o excremento de seu pet. Que pessoal organizado!

Meu deus! Drink for them colourfulfor them! Não sei nem qual é o produto...

"Don't crash!" Não quebre!
Era fácil descobrir que seria melhor Fragile.
Hot-Kid é também hilário...


Alguém poderia até questionar que estes erros são também um retrato da diferença cultural. Pode ser, mas de qualquer forma, aquela educação que os Chineses tentam vender para todo mundo não é verdade! Se uma fábrica com mais de 100 chineses não tem pelo menos UM funcionário com cultura suficiente para copiar algo no Google, então a escolaridade nestas regiões da China deve ser menor que 1%. Estamos mal, mas este índice conseguimos bater.

E praticamente não há produto Chinês que não tenha estes erros. Vejam mais alguns:

Sempre penso na sua coisa! Eu hein...

Esse chinês tinha alguma noção, mas não era grande coisa...


Com uma rápida busca no Google pode-se perceber que "cock" é galo em Inglês. Mas não desabilite o "Safe Search", ou você vai perceber que "cock" é também uma gíria para outra coisa!

Cultura só vem com o tempo, e a democracia é parte deste processo. Eles estão investindo em educação, isso se sabe, mas será acessível a todos? Deve ser como no Brasil da década de 60 o u 70, também em ditadura, só quem tinha acesso à escola e educação era filho de rico. Pobre, só se desse sorte.

No Brasil temos grandes problemas, mas estamos muito mais no caminho certo do que os Chineses. Eles tem a vantagem de ter mais de 1 bilhão de trabalhadores, mas nós temos a criatividade e a democracia, não se pode colocar um preço nisso!

Para terminar este texto volto ao título. Se perguntássemos sobre isso a Joel Santana, este certamente diria: "Brasil education play good!". Representa a educação Brasileira bem melhor que os produtos Chineses, com certeza.

domingo, 28 de junho de 2009

O crime de Sarney



Sarney não é um banana qualquer. Foi presidente do país, deputado diversas vezes, governador do maranhão, senador e finalmente presidente do senado. Sua trajetória política vem desde 1955, ou seja, é uma personalidade bastante conhecida [1].

Sabe-se que é um coronel à moda antiga, tão ou mais poderoso que o falecido ACM. Manda e desmanda no seu estado, assim como o colega baiano. Conseguiu recentemente eleger a filha Roseana no tapetão, derrubando o governador eleito pelo povo em um processo cheio de favorecimentos. Todas as pontes, prédios e obras no Maranhão levam o nome dele, e a mídia local também é da família. Ou seja, Sarney é um Corleone com os poderes políticos inimagináveis até mesmo para uma fictícia família italiana.

Por que então a mídia só resolveu atacá-lo agora, depois de 50 anos de silêncio, e descobrir o óbvio. O que Sarney fez de tão ruim recentemente que colocou-o em maus lençóis com as Folhas, Estadões e Globos deste país?

Simples! Sarney cometeu um crime imperdoável e hediondo, sendo julgado e condenado de acordo com as leis do PIG. Sarney teve o disparate, a ousadia, a "pilantragem" de apoiar Lula! E isso a mídia não perdoa.

E daí que Sarney emprega a família toda em seu gabinete, ou faz da política uma troca de favores com segundos e terceiros? Isso não interessa... Poderia ser um assassino como Jack o estripador [3] ou um mafioso ainda pior que Al Capone [4], seria respeitado pela mídia como grande político, a não ser que ousasse apoiar Lula. Isso é imperdoável.

É por isso que os opositores do DEM e PSDB são tratados com um exagerado respeito pelos jornais, embora estejam tão lameados neste escândalo quanto Sarney. Uma rápida pesquisa no google mostra isso, Heráclito Fortes [5], Demóstenes Torres [6] e Arthur Virgílio [7] estão bastante envolvidos nas tais nomeações secretas. Nada se fala sobre estes, nada se cobra. Todos os crimes são perdoáveis e esquecidos pelo PIG, menos apoiar Lula.

E sobre ACM "grampinho" Neto? Ele também é um coronel, assim como os ACMs anteriores. Mas é sempre tratado com gentilezas pela mídia. Ouvi outro dia, na rádio CBN, a estrela do Jô e do PIG Lucia Hipólito dizer que Grampinho é um político "honesto com passado limpo" [SIC]. Limpo para o mídia brasileira significa que nunca apoiou Lula.

Esta emblemática campanha anti-Sarney não tem nada a ver com o ex-presidente. Trata-se de mais uma tentativa desesperada de dar apoio à oposição golpista DEMo-tucana. O senado era a última fronteira retrógrada onde o governo não tinha apoio, o que abalou-se diante da eleição de Sarney e seu hediondo apoio a Lula. Como isso incomoda os barões do PIG e seus colunistas "brilhantes"!

Eles estão desesperados, coitados. Sem o último apoio no Senado a Elite não conseguirá levar para frente os mantras que a mídia entoa, como se fossem a verdade absoluta divina. Entre outros, repetem que devemos fazer exigir uma Reforma tributária (para rico não pagar imposto) e uma reforma trabalhista (para décimo terceiro virar mariola).

A verdade mesmo é que o senado e congresso são um entrave político. O povo vota errado e tende a eleger o legislativo de um partido ou corrente política diferente do executivo. Isso deixou o PT e a base aliada sem alternativas a não ser pedir apoio e ceder a pressão política de partidos problemáticos como PTB, PR (EX-PL) e o PMDB. Quem sabe as eleições de 2010 não colocam as coisas nos eixos?

Enquanto isso, Sr. Sarney, recomendo que você fale um pouco mal de Lula. Diga que ele é analfabeto, por exemplo, ou agrade o PIG ameaçando dar-lhe uma surra. Já deu certo antes...

segunda-feira, 18 de maio de 2009

CPI da Petrobras: um duplo atentado ao Brasil

Esta nova CPI que se apruma em Brasília, e tem a Petrobras como alvo, é um grande atentado ao país. Ou melhor, na verdade são dois atentados.

Antes de desenvolver este tema, deve-se dizer que a estatal brasileira está mesmo sendo investigada pelo tribunal de contas da união (TCU) e foi alvo da operação castelo de areia da Polícia Federal (PF). Há indícios de fraudes na obra da refinaria de Abreu Lima em Pernambuco [1] e também possíveis irregularidades fiscais [2] no recolhimento de tributos como PIS, COFINS e CIDE, sendo inclusive alvo de questionamentos junto ao Ministério Público Federal (MP).

Isso então prova a necessidade de CPI? Não! Aí está o primeiro atentado contra o país!

Se forem verdadeiras as acusações de fraude e sonegação fiscal, o estardalhaço midiático só vai dificultar as investigações. Funcionários da Petrobras, das empreiteiras e das terceirizadas estão agora alertas para qualquer problema com o MP ou com a PF. Podem tentar destruir provas e maquiar evidências, caso existam, e desaparecer na confusão das contas públicas.

Algum funcionário da empresa que cometeu fraudes, tanto na Petrobras quanto nas contratadas, pode simplesmente apagar seus rastros sumindo com documentos e registros. Pode-se acabar apenas constatando má administração dos recursos públicos, ao invés de descobrirmos o pote de ouro, ou seja, quem cometeu os crimes mais graves como corrupção passiva, peculato e prevaricação [3].

Será que algum destes crimes realmente ocorreu? Não se sabe e desta forma temo que nunca se descubra. A CPI não serve para nada, pois quem comete este tipo de crime só é preso em grandes operações da PF, com provas documentais, gravações telefônicas e interceptação de e-mails e dados. Isso normalmente requer inteligência e tempo, muitas vezes anos para que provas sejam obtidas e para que os culpados sejam presos.

Arthur Virgílio e seus colegas tucanos podem esbravejar o quanto quiserem, pois não conseguirão qualquer objetivo senão espantar a verdade, dificultar investigações e impedir que os reais criminosos sejam pegos. Fazem esta CPI apenas como espetáculo eleitoral, e aí está o segundo atentado contra o Brasil.

A CPI tem apenas o pretexto de investigar a Petrobras. Na verdade, Tucanos e Demos querem causar problemas ao governo visando as eleições de 2010. Só que a petrobrás e seus acionistas acabam pagando a conta deste show. Nada mais injusto.

Enquanto a empresa estiver sendo investigada publicamente pela CPI, projetos e negócios serão mais difíceis de serem finalizados e novas ações muito provavelmente serão adiadas. Com isso, a Petrobras perde oportunidades, competitividade e sofre danos à sua imagem, ainda mais graves considerando-se os planos internacionais almejados pela estatal.

No final das contas, quem perde mesmo com a CPI é o povo brasileiro. Não saberemos quem eventualmente cometeu fraudes (atentado 1) e ainda traremos atraso aos planos brasileiros em ver a Petrobras com novas refinarias e explorando o pré-sal (atentado 2), conquistas tão importantes para gerar riqueza e distribuição de renda no país. Com uma simples decisão e um punhado de votos, os parlamentares do PSDB e DEM conseguiram parar várias partes de uma máquina multinacional e ao mesmo tempo desperdiçar recursos, arranhando a imagem do governo e da Petrobras. Que capacidade!

Nada mal para quem sempre teve a intenção de trocar o nome da empresa e vendê-la por qualquer trocado. Será que esta não é a verdadeira intenção deles novamente? Quem sabe não ouviremos na CPI uma manifestação da oposição dizendo "Viva a Petrobrax!" Parece familiar?

quinta-feira, 14 de maio de 2009

Serra e o porquinho!

Apenas meia-dúzia de grandes jornalistas e um punhado de blogs fala mal do ilustre governador de São Paulo, o Sr. José Serra.

Não é por falta de motivo. São Paulo tem, com certeza, um monte de falhas de administração que gerariam milhões de reclamações na mídia. Engarrafamentos, violência, desordem urbana, e problemas na saúde e educação são algumas das mazelas que atingem todas as capitais do Brasil, e São Paulo não é diferente.

Como Serra consegue diminuir ou impedir a veiculação de notícias danosas à sua imagem, sendo São Paulo tão cheia de problemas insolúveis, está além da minha compreensão. Este fenômeno ocorre em todos os portais de notícias, todos os jornais e revistas impressos, além da maioria dos programas de televisão.

Amizades na mídia, mensalão ou ameaças de demissão? Há certamente algum motivo que explique porque ninguém escreve um simples revés sobre o governador. Talvez o único grande jornalista com coragem para falar mal de Serra seja Paulo Henrique Amorin, que por sinal já foi demitido de um portal de internet.

Recentemente mais uma prova do fenômeno apareceu na internet. José Serra vai a um encontro com empresários do ramo de carne suína e dá uma aula sobre a nova gripe. Uma sabedoria de fazer inveja ao personagem Didi dos trapalhões ou ao Chapolin, e que está devidamente registrada em um vídeo no youtube.

Tão ridículos são os comentários de Serra que o vídeo virou um grande hit na internet. Você encontra fácil no youtube versões onde fizeram uma arte com porquinhos e uma musiquinha. Coloco aqui o vídeo do original sem cortes ou firulas, para uma análise mais profunda:



Depois de falar a besteira, de que o "espirro do porco" transmite a doença [SIC] e de que seria uma "boa idéia" não ficar "perto de porcos" [SIC], Serra até fala algumas coisas coerentes. Minha pergunta é, por que nenhum portal, jornal ou revista registrou esta grande gafe?

A folha, por exemplo, noticiou que o Serra foi "vítima" de uma edição na internet, referindo-se ao tal vídeo com a arte e a musiquinha dos porquinhos. Ora, que o vídeo editado é mais engraçado, isso sem dúvida, mas a bobagem falada por Serra não foi gerada artificialmente, foi ele mesmo quem disse.

Jornais e revistas correm para noticiar quando Lula comete gafes. Deixo aqui quatro links do jornal O Globo provando este fato. Em [1], Lula troca Obama por "Obrama" [SIC], em [2], Lula erra a história do morro da providência, em [3], Lula fala mal dos paraguaios e em [4], Lula troca a capital da Alemanha.

Sobre a bobagem de Serra, não há nada. Apenas um link do mesmo jornal em que Serra afirma que não há motivo para pânico com a gripe suína [5], como se ele fosse um grande conhecedor da causa.

Claramente, Lula não tem o mesmo tratamento a pão-de-ló que o governador do estado de São Paulo. Desafio a encontrar gafes de Serra no Globo, e a julgar pelo "espirro do porquinho", isso deveria acontecer mais frequentemente. O que faz este indivíduo gozar de tanta amizade e facilidades com a mídia?

Mas não tem nada não... para isso existem os blogs e a internet. Por mais que se tenha influências nos grandes jornalões e revistas, a internet democratiza a informação e tudo acaba chegando à público. A internet está sendo uma grande revolução para política brasileira, destruindo pouco a pouco a rede de intrigas que ainda vigora.

Pensando bem, isso faz deste blog quase uma utilidade pública. Estou registrando para a posteridade o que a mídia não faz, até mesmo o mais suíno espirro de nossos políticos.

segunda-feira, 11 de maio de 2009

Gabeira, o paladino cachorro-morto:

O último e mais fresco escândalo no congresso é a farra das passagens aéreas. O assunto foi amplamente comentado na grande mídia durante algumas semanas e assistimos a escandalização de diversos comentaristas do PIG.

Esperei um pouco para postar sobre isso até que o assunto estivesse um pouco morno, para não "chutar cachorro morto", mas como prevê o título, isso será inevitável.

De certo que é um absurdo. Deputados e senadores tem uma cota de caras viagens aéreas e podem usar como bem entender, oferecendo-as para a sua família e para terceiros, mesmo sem comprovar interesse público. Diversos deputados e senadores não sabiam explicar por quais motivos enviaram familiares, artistas e até mesmo desconhecidos para destinos como Nova York e Miami sem qualquer motivo político. Festa e farra, acredito eu...

Este não foi um escândalo do governo, mas como envolve alguns aliados, pudemos perceber novamente a típica escandalização seletiva da mídia. Sempre se dá maior destaque ao que o presidente Lula e qualquer aliado fez, sem direito a resposta ou defesa, enquanto a oposição goza de tratamento VIP, tanto da grande mídia quanto dos comentaristas reacionários que fazem parte dela.

O deputado Michel Temer, do PMDB aliado ao governo, fez turismo em Porto Seguro [1] com a família e terceiros, e teve sua vida política escancarada por diversos jornais. Justo? Sem dúvida. Acho que nada menos que a cassação de seu mandato, bem como ressarcimento dos custos indevidos ao cofre público poderia ser suficiente para remover mais esta mancha de corrupção que assombra o congresso.

Mas e quanto ao senhor Gabeira? Tema recorrente deste blog, o queridinho da mídia e da fictícia revista jornalistica conhecida como Veja não obteve semelhante tratamento. Embora tenha admitido o uso de dinheiro público para custear passagens aéreas a terceiros e familiares [2] [3], não foi obrigado e nem mesmo adequadamente questionado sobre quem foi o beneficiário destas. O PIG e seus comentaristas ficaram contentes com a explicação de que não informaria nomes para proteger a privacidade das pessoas, ainda citando a pérola de que "estas não sabiam que a concessão era irregular".

Brincadeira! Gabeira era considerado, não por mim, mas pela mídia, um paladino da justiça. Sua candidatura a prefeito do Rio de Janeiro era baseada na lisura e no combate à corrupção, mostrado diversas vezes em seu horário eleitoral nos vídeos em que discutia com Severino Cavalcante. Não se podia esperar que Gabeira estivesse envolvido nisso, e ainda desse desculpas capazes de deixar Eurico Miranda escandalizado.

Não querer informar nomes é um absurdo sem precedentes. Fui eu que paguei estas passagens, eu e todo mundo que paga imposto de renda. Quero saber quem foram os beneficiários e não me interessa se estavam cientes ou não da ilegalidade. A mídia tem que deixar de se escandalizar seletivamente, tem que parar de buscar virgulas nas palavras de Lula para fabricar crises, e olhar para o próprio umbigo, para seus queridinhos que tudo podem.

Acreditem vocês que mesmo depois deste incidente a mídia perdoou Gabeira e continua a mostrar que o paladino está a atacar a corrupção com fúria. Usando o espaço gentilmente cedido e floreado pelos analistas do PIG, recentemente publicou-se que ele é o principal articulador de uma mudança para acabar com a cota de passagens aéreas [4], e que vai devolver o dinheiro gasto indevidamente [5]. Ampla defesa, espaço, ajuda e acobertamento, que o presidente Lula nunca sonhou ter de ninguém na mídia nos episódios do uso dos cartões corporativos ou durante o caô [sic] aéreo.

Ninguém no PIG admitiria qualquer mínimo deslize de Lula e do PT, mas seus queridinhos passam batido pelos jornais, tentando explorar o esquecimento. Mas eu sou chato, e se antes deste acontecimento já falava mal do ex-militante da ditadura, ex-defensor da maconha e ex-incorruptível, agora fica até fácil, como chutar cachorro morto.

segunda-feira, 6 de abril de 2009

Como a Globo vê seu público?

Estava em uma loja no shopping quando me deparei com um pequeno brinquedinho - o RoBBB. Pelo que percebi, ele é inspirado nas animações e na arte do Big Brother Brasil, da rede Globo.

Robbb, o Robô do BBB de um olho só.

RoBBB é até bem simpático à primeira vista, embora sua aparência grotesca tenha me levado a uma reflexão. Será que o brinquedo reflete a maneira com que a Rede Globo vê seu público? Teria o pessoal de arte da Globo, sem querer, deixado uma clara impressão de como a emissora encara àqueles que assistem seus programas.

O Robbb observa a casa do BBB, seus participantes e interações, exatamente como faz a audiência do enfadonho programa. Em outras palavras, o brinquedinho é parecido com os telespectadores, servindo assim como mascote de quem assiste Big Brother. Na minha opinião isso deve ser percebido como um grande desrespeito à nossa inteligência, e também ao Brasil como um todo.

O robô possui um corpo muito maior que os membros, barrigudinho eu diria, como se houvesse um sofá anexado ao corpo, típico de quem assiste TV por muito tempo e não sai da frente da tela. É assim que o telespectador do BBB é visto...

Rodas fazem o brinquedo deslizar pelo ambiente, embora possamos ter a impressão que não pode ir muito longe. Seus braços pequenos não permitem carregar ou fazer nada, talvez apenas segurar o controle remoto. Já percebeu o insulto? Tem mais...

A cabeça do robô foi o que me deixou mais ressabiado. O brinquedo possui apenas um olho que parece ocupar toda a cabeça. Um olho claramente maior que o cérebro! Como se quisesse passar a impressão que o telespectador não consegue computar ou pensar muito, apenas observar. O fato do robô ter apenas um olho me remete também a incapacidade de observações em profundidade, ou seja, o RoBBB encara a vida como quem assiste tv, assume como verdade tudo que uma tela 2D mostra, não há necessidade de pensar muito à fundo.

Sem querer, por certo, que isso aconteceu. Acho que ninguém da direção de arte da emissora fez o brinquedo com o intuito de nos diminuir ou ofender. Deve ter ocorrido um deslize inconsciente, que fez com que tenha sido retratado no brinquedo a imagem de um povo passivo, omisso e incapaz de um profundo raciocínio. Não podemos deixar que achem que somos assim!

Para aqueles quem vêem este programa, e no imaginário da direção da emissora se assemelham ao RoBBB, gostaria de mandar os seguintes recados:

- Perceba que a Globo vê no telespectador do Big Brother um ser incapaz de grandes raciocínios, com apenas um olho muito maior do que o cérebro. Que deseja observar a vida e nada mudar, adicionar ou questionar.

- Perceba que a Globo o vê como alguém facilmente hipnotizável por cenas brilhantes e mulheres semi-nuas, mesmo que não sejam muito bonitas e não tenham qualquer talento. Para a emissora você é uma pessoa que vai comprar sem questionar qualquer produto por mais inútil que seja.

- Perceba que enquanto a Globo continuar conseguindo boas audiências com este programa idiota, não investirá em cultura, arte ou qualquer outra coisa inteligente. É muito mais barato colocar 15 debilóides sem qualquer valor para ficar o dia inteiro em um ambiente confinado, falando bobagens e conspirando uns contra os outros.

Resta que as pessoas parem para refletir e mudem de canal. Quem sabe até mesmo desligar a TV e ir procurar o que fazer na internet. No orkut temos diversas comunidades que compartilham links e vídeos de programas de TV, nacionais e internacionais, dos mais variados assuntos. Algumas destas comunidades oferecem legendas para seriados de televisão antes destes passarem na TV à cabo. Se você tem condição de ter TV a cabo ou internet, aproveite e não aja o RoBBB, pare de "dar uma espiadinha" e pense no que assiste!

terça-feira, 24 de março de 2009

Email chato de um nadista...

Recebi um email que muito me incomodou. É de um autor que considero"nadista", ou seja, alguém que reclama mas não tem "nada" de ideologia e "nada" a contribuir.

Irritou-me tão profundamente que resolvi transcrevê-lo para meu blog, colocando em preto meus comentários e em vermelho o texto do "nadista", que versa sobre um projeto de lei de Cristovam Buarque, que obriga os políticos a colocarem seus filhos em escolas públicas [SIC].

Na República de Bananas em que vivemos, de tudo já vimos, de tudo já ouvimos. Presenciamos e calamo-nos perante atrocidades e mais atrocidades cometidas por aqueles que nos governam, homens do povo,

Quando vejo escrito que o Brasil é uma "república das Bananas", minha vontade é mandar colocar as bananas todas naquele que isso escreve, com casca e tudo. Já da para notar lendo apenas meia linha, que este texto é totalmente sem sentido, rebelde sem causa. Reclamação apenas para fazer barulho.

representantes da democracia indireta efetivada pelo voto, cuja obrigatoriedade remete-nos ao questionamento da real justiça democrática tanto pregada e exaltada como a forma de colocar na massa popular, a soberania. Uma utopia elevada aos céus, uma mentira cravada em nosso solo.

Metralhadora cheia de mágoas! Continua reclamando da vida, ou de algo que não indica claramente. Acha realmente que a obrigatoriedade do voto mudaria alguma coisa. Será que quem escreve gostaria de não precisar votar? Será que assim contribuirá para melhorar algo no país? Ao fim deste parágrafo o autor diz que há "uma mentira cravada em nosso solo [sic]". Ora pois, cravadas deveriam estar as bananas e você sabe muito bem onde!

Em meio a uma podridão absoluta e praticamente irreversível (a menos sob revolução), observamos casos tão trágicos que beiram a comédia, como um filme pornô mal feito onde a esporrada final vai sempre de encontro a face do espectador. Afinal, que outra reação se não o riso poderíamos ter, ao observar o preâmbulo da constituição e atentar à frase: “protegidos por Deus” - sendo nosso Estado laico. Sim, nosso preâmbulo constitucional é, na verdade, inconstitucional.

De qual revolução cita o autor? Militares tomando o poder com tanques de guerra? É essa a visão de sociedade que o autor tem? Deve ser mais um que apóia o método de pacificação do Capitão Nascimento.

A revolução está acontecendo e chama-se democracia, é discutir política, aprender a votar e a reclamar de forma civilizada para obter nossos direitos, não ficar maldizendo nosso país e nossa constituição. O autor deve ter saudades da época em que a escola pública era apenas para filhinhos de papai, e que pobre era tratado à chicote e bala.

Dizer que a constituição é errada pois no preâmbulo há a frase "protegidos por Deus"? Isso sim é "comédia"! Isso ofenderia quem, os ateus? Esse é o maior problema do Brasil? Sua sugestão é mudar o preâmbulo da constituição?

A citação de baixo calão sobre filmes pornô me faz pensar que o autor realmente merece todas as bananas, vocês sabem onde...

Como poderíamos ficar sérios ao, abrindo nossa Constituição da República Federativa do Brasil no Art. 7º inciso IV, darmos de encontro a:

“IV - salário mínimo , fixado em lei, nacionalmente unificado, capaz de atender a suas necessidades vitais básicas e às de sua família com moradia, alimentação, educação, saúde, lazer, vestuário,higiene, transporte e previdência social, com reajustes periódicos que lhe preservem o poder aquisitivo, sendo vedada sua vinculação para qualquer fim;”
Não, não é uma piada, esta é a realidade de nossa República de Bananas.

Está ruim o salário mínimo? Então não reforce o coro da elite quando o governo quiser aumentar. Nosso salário mínimo ainda é uma droga mais já foi pior há muito pouco tempo. O governo Lula deu cerca de 200% de aumento. Acha pouco? Sugira uma forma de melhorar isso, não fique criticando bobagens, não há nada de errado na constituição.

Bananas novamente? Talvez Freud explique.

Para fechar com chave de ouro a nossa seção de humor negro da realidade brasileira, há algumas semanas nosso ilustre ministro da saúde, José Temporão, afirmou que o Brasil se orgulha profundamente do SUS e recomendou a utilização deste sistema para o presidente Barack Obama. Você provavelmente já ouviu falar de nosso sistema de saúde pública, aquele em que as emergências dos hospitais possuem 500 doentes para 100 camas, aquele em que os doentes trocam figurinha (“opa, já que está aqui do meu lado, pega minha tuberculose e eu te passo uma hepatite”), aquele em que os médicos precisam vir a público dizer: “sinto muito, mas não posso continuar atendendo pois não temos mais luvas!“, aquele que… Bem, aquele de que nos orgulhamos.

Tenho também orgulho do SUS. É uma droga? É... mas pelo menos temos algum hospital em que todos tem direito a ir. Quando você tem um problema realmente grave de saúde, que requer transplante por exemplo, é para o hospital público que você vai. Nos EUA você tem que ir para o Canadá.

Porém, em meio a este turbilhão de tragédias cômicas, surge o projeto de lei mais irônico de todos os tempos da história do Brasil.

Criado pelo Senador e ex-governador do Distrito Federal, Cristovam Buarque (um dos únicos políticos que realmente pensa na educação brasileira), o projeto diz:

Isso mesmo!
Obrigatoriedade a todos os filhos de políticos a frequentarem escolas públicas!

Logicamente, o projeto será negado pela inconstitucionalidade, já que fere o direito de liberdade de escolha. Porém eu, você e o próprio Cristovam sabemos muito bem o motivo real para a negação: nosso ensino público é um lixo fedorento e apodrecido. Um sistema falso, mascarado, que não reprova ninguém mesmo que o aluno não vá às aulas. Um sistema criado para fingir que a população brasileira é alfabetizada, mesmo sabendo que grande parte dos alunos termina a escola sem saber ler ou escrever.

Acho que o projeto é ridículo, pois se é inconstitucional, para que serve? Além do mais, não deveria ser apenas obrigatório para os políticos, deveria ser obrigatório para todos. Chega de papai que quer mandar o filho para escolinha particular. Por não estarmos todos no mesmo barco é que o sistema não funciona, a mídia dá algum espaço para reclamar do colégio público? Não, pois seus filhinhos queridos estão no particular.

Agora chamar de "lixo fedorento e apodrecido" [SIC] é um abuso. Estudei em colégio público toda a minha vida e não foi fácil, há muitos problemas. Mas sou o que sou hoje com muito orgulho da educação que o estado me deu. Pelo menos meu pai não precisou pagar para eu passar.

Eu bato palmas a Cristovam Buarque, pelos culhões apresentados ao dar um verdadeiro tapa de luvas na face de cada político safado e de nosso presidente letrado e inteligente.

Eu não bato não. Deveria ter "culhões [SIC]" para fazer algo que fosse constitucional ou que realmente melhorasse o ensino público. Fazer marola para aparecer na mídia é totalmente desnecessário. Darei meus parabéns ao Buarque se este projeto fizer algo melhorar, só não sei por enquanto como isso será possível.

Sobre o aparente sarcasmo com a inteligência do presidente, fiquem sabendo que Lula possui muita sabedoria e sensibilidade para saber o que o povo realmente precisa, e sua popularidade não me deixa mentir.

Além do mais, Lula não precisaria frequentar o ensino superior para ser bem mais inteligente que todos os "nadistas" ditos letrados, embora ultrapassá-los na sagacidade não seja muito difícil, pois estes nem mesmo percebem que é uma má idéia denegrir o país onde você trabalha e tira seu sustento.

Afinal, ora bolas, sendo nosso sistema público de educação e saúde um exemplo mundial, como afirmam nossos representantes, que coloquem seus filhos para estudarem e serem atendidos nestes estabelecimentos. É, tenho a ligeira impressão de que jamais o farão.

Está brincando? Muita gente com dinheiro reclama de ter colocado os filhos na escola particular. Embora a educação seja boa, a convivência com filhinhos de papai deixa os jovens com vontade de serem surfistas*, playboys e observadores da natureza. Se fossem para a escola pública eles teriam noção da realidade, do valor do trabalho e do dinheiro.

Mas, pensando bem, até que grande diferença não faria. Afinal, para ser eleito neste país não é necessário muito estudo.

Parabéns, povo, poder soberano.

Não é necessário ter nenhum estudo, na verdade. Mas é primordial ter sabedoria para decidir e carisma para guiar o povo pelos altos e baixos da vida, e isso Lula tem de sobra. Certamente bem mais que alguém que termina um texto dando "parabéns para o povo [SIC]" achando que não faz parte dele. A vida só melhora para quem luta por ela, e pelo jeito quem escreve este texto já desistiu faz tempo, típico sintoma do nadismo.

Precisamos de pessoas que amem o Brasil e lutem por ele, não que o diminua e desista.

Temos condições de sermos uma grande nação, e esta mudança não acontecerá no futuro, está acontecendo agora! Veja os dados de crescimento e distribuição de renda, veja a revolução da classe C, os investimentos do PAC e as escolas técnicas, para citar pouca coisa. Precisamos de vocês para reclamar, mas com cidadania, respeito e consciência.

E para quem quiser continuar a denegrir nosso país, dou-lhes bananas...

sexta-feira, 23 de janeiro de 2009

Aprenda Inglês de graça e sem sair de casa usando FRIENDS!

Você não recebeu isso por email! Não é Spam, não é polyshop e não é só isso!

Terminei o nível avançado em um famoso e caro curso de Inglês, parcialmente financiado pela empresa em que trabalhava, mas para minha surpresa eu só era capaz de entender perto de 20% de um filme americano. Sem legendas, não dava para acompanhar nem mesmo o mais simplório programa de TV.

Mas como? Será que tenho que passar ainda mais tempo no curso para conseguir a façanha de entender o que diz Jack Bauer?

Mas finalmente eu consegui. Hoje assisto a qualquer programa de TV e entendo quase 100%. O que permitiu esta façanha? Criei eu mesmo um método de ensino de inglês grátis.

Tudo que você precisa é de um nível mínimo de Inglês para começar. Algo como o verbo To Be, algumas conjugações, tempos verbais e algum vocabulário. Se você terminou o nível básico já pode iniciar o treinamento.

Minha proposta é aprender Inglês usando o seriado Friends, que é cheio de referências culturais, gírias e erros de pronúncia. É o que você precisa para ver qualquer programa de TV e filmes. Isso é o que os cursos de Inglês não querem que você saiba!

Que tal agora? Quer verificar se você pode iniciar o treinamento? Veja o vídeo abaixo com atenção, tente se esforçar AO MÁXIMO para entender qualquer coisa:


E aí? Se você entendeu até 20%, já pode começar. Por incrível que pareça, os cursos de inglês ensinam tanta coisa inútil, que muitos anos se passam até você conseguir entender estes 20%. Em apenas um ano usando o método que criei, seu Inglês vai estar em 50% da escala Friends. Tudo depende de você.

Se você não entendeu nada, pare aqui mesmo. Vá fazer o nível básico de inglês. Não use o método agora, espere até você ter um nível básico...

Vamos ao método:

- Primeiro baixe o programa utorrent, em http://www.utorrent.com/
- Vá ao site https://kickass.so e busque pela primeira temporada do famoso seriado Friends. De lá você poderá baixar um arquivo que servirá como direção para baixar usando o programa utorrent todos os vídeos da primeira temporada do seriado. Deixo o Link para baixar o arquivo, mas não garanto que ele continuará funcionando...https://kickass.so/friends-all-10-seasons-720p-hdtv-seedbox-pimp4003-t6976670.html

Só faça o procedimento acima de você tem o DVD com a primeira temporada do seriado, por óbvios motivos de copyright.

Os arquivos NÃO TÊM LEGENDAS, e é assim que é bom mesmo! Não baixe legendas, nem mesmo em Inglês. Legendas são muletas, não permitem o aprendizado.

Agora usando o computador, toque o primeiro episódio em tela cheia e usando um confortável fone de ouvido. Assista com atenção e não desista se não estiver entendendo. Acostume-se com o jeito de falar, tente perceber algumas palavras e estruturas da língua.

Agora vá ao site http://www.livesinabox.com/friends/scripts.shtml e clique para ler o arquivo Script do episódio 101, ou seja, primeira temporada (1), primeiro episódio (01). Você poderá ler o as falas dos personagens, como um roteiro. Leia em voz alta e procure no dicionário as palavras que você não entender, tente primeiro usar um dicionário inglês-inglês (http://dictionary.reference.com/), e se não for possível entender mesmo assim, use um inglês-português (http://www.freedict.com/onldict/por.html).

Agora veja novamente o vídeo do mesmo episódio. O entendimento deve aumentar consideravelmente, mas isso não é sinal de que você aprendeu. Isso sempre acontece... a forma americana de falar nos confunde, e se você souber previamente o que será dito fica bem mais fácil. Com o tempo você pega o jeito.

Repita novamente agora lendo o script, minimize o player e apenas escute enquanto acompanha o roteiro.

Faça o mesmo com todos os episódios desta temporada, depois de todas as outras temporadas. Demora muito, mas vale a pena. Paciência e perseverança é o único caminho que levará a fluência.

Então, para resumir:

1-Veja o episódio usando fone de ouvido em tela cheia.
2-Leia o script sem ouvir ou ver qualquer cena.
3-Veja novamente o episódio.
4-Escute o áudio do episódio (player minimizado) enquanto acompanha o script.

Este processo leva, para cada episódio, cerca de 1h, e deve ser repetido diariamente com episódios diferentes. Tente seguir a ordem para não se perder na história. Ao final de alguns meses, você perceberá uma enorme mudança no seu Inglês, muito maior que qualquer curso poderá ter oferecer. Milhares de reais não serão perdidos!

Quando terminar Friends (São 240 episódios, vai demorar muito), continue com Seinfeld, That 70's show e qualquer outro de comédia. Quando se sentir seguro, comece a assistir seriados como 24 horas, CSI e outros policiais, estes são bem mais difíceis, mas você estará craque...

Boa sorte e pare de sofrer! Não gaste mais nenhum tostão com cursos que repetem "the book is on the table" e "the sky is blue". Encare a dificuldade e você verá resultados! So, how you doin'?

The Big Bang Theory

Sou aficionado por sitcoms, um gênero de comédia, comum na TV americana, onde as piadas são originárias de situações cotidianas e engraçadas que ocorrem com os personagens.

Nos últimos anos, me decepcionei com a programação de televisão. Deprimia-me o fato de que todas as séries sitcoms que eu gostava tinham acabado há tempos: Friends em 2004, Seinfeld em 1998 e That 70's show em 2006. Nada as havia substituído com sucesso.

Não estou citando nada da TV Brasileira pois esta nunca me decepcionou. Sempre foi uma constante droga. Exceções poucas para Os Normais e A Grande Família.

Não que a TV americana seja muito melhor, mas a concorrência permite pelo menos espaço para vida inteligente. No Brasil só há produção decente na Globo, que gasta todo o orçamento montando novelas idiotas, com textos ridículos e risíveis, mesmo quando dramáticos.

De volta aos sitcoms, me deixava triste o fato de que o único seriado que assisto ainda em produção é Two and a Half Men, que começou em 2003 e possivelmente não dura muito mais de 2 ou 3 temporadas. Depois disso, o que?

Finalmente a esperança voltou quando assisti o que considero o melhor Sitcom de todos os tempos desde Friends, o novo seriado The Big Bang Theory (BBT), da americana CBS.

O enredo se passa na California, onde quatro nerds encaram os mais variados problemas devido à sua baixa habilidade social, que começa a aparecer fortemente quando Penny, uma aspirante a atriz, muda-se para o apartamento ao lado. Veja só uma cena da série:



O seriado é uma metralhadora de referências culturais e científicas diversas. Muitas vezes eu preciso encontrar o script (roteiro com as falas) na internet para entender o que se diz, mesmo quando assisto legendado.

Como são semelhantes os personagens com muitos de meus colegas. Lembro-me de um sem número de discussões sobre a física de Jornada nas Estrelas, sobre as incoerências da ficção científica e outros. Gosto da série principalmente pois me identifico com diversos personagens. Meu grupo de colegas parece muito com os nerds de BBT (por que será?).

A complexidade deveria tornar o seriado pesado, mas isso não acontece graças à incrível capacidade de roteiro e produção, que torna tudo engraçado. As semelhanças com Two and a Half Men (THM) não são apenas coincidências, a produção também é de Chuck Lorre.

Com a audiência da série aumentando, ao que parece tornando-se um sucesso absoluto, espero que THM e BBT dêem uma sobrevida aos sitcoms que tanto gosto, pelo menos mais uns cinco anos.

E depois é torcer para que novos projetos de promissores sitcoms surjam. Quem sabe alguns aqui na TV brasileira? Qual o problema disso?

Nossos escritores, roteiristas e artistas são bons, mas estão todos focados no enfadonho gênero noveleiro. Como precisam gravar todos os dias, a qualidade despenca para um total pastelão. Personagens que não parecem pessoas, sem sal, sem graça, sem qualquer apelo.

Um dia a inteligência terá espaço na TV brasileira, pois as novelas estarão destinadas ao fracasso quando as pessoas finalmente tiverem alguma outra opção. Não custa sonhar...