domingo, 30 de março de 2008

O perfil dos eleitores do PSDB e a atucanização do povo!

Como é o perfil de quem vota na direita? No PSDB, principalmente?

Faço esta pergunta pois tenho diversos colegas que possuem simpatia pela causa "revolucionária" social-democrata. Muitos destes possuem características em comum, facilmente identificadas entre as reclamações que fazem constantemente sobre as "injustiças da sociedade".

Dentre estas características, alta renda é a mais importante. Todos os meus colegas que votam em tucanos pagam altos valores de imposto de renda, e comentam que não vêem resultados destas contribuições ao estado. Já ouviu este discurso de algum tucano?

Lógico, quando se você paga algo em torno de R$3000 por mês de impostos é mais difícil ver efeitos condizentes, não é? Estas pessoas não usam o sistema de saúde, não recebem bolsa família ou qualquer assistência social e possivelmente não usam a educação pública. Para que os efeitos fossem mais claros o governo deveria pagar por empregadas domésticas 24h na casa destas pessoas! Deveria dar 1200L de gasolina por mês, pagar pelos estudos no IBMEC e abastecer de vinhos importados as adegas climatizadas destes abastados...

Empresários também entram neste mesmo bolo. Não entendem as benfeitorias deste governo como crescimento do país e aquecimento do mercado interno. Defendem a diminuição dos impostos porque ganham bem, acham não precisam do estado.

Então as pessoas que ganham bem pagam mais impostos e têm maior dificuldade em perceber os benefícios do governo. Pouco a pouco, podem passar a ter discursos com tendência à direita, ou seja, eleitores convictos tucanos são normalmente ricos empresários e empregados com elevados salários, que pagam altos impostos condizentes com suas rendas.

Baseado nestes pensamentos, estou um pouco amedrontado. Votei no Lula e na esquerda durante toda a minha vida. Desde que tenho título de eleitor voto na legenda do PT para deputados federais e estaduais. No entanto, isso tudo poderá mudar radicalmente! Calma, eu explico:

Sou servidor federal, e como tal recebi diversos aumentos desde que o governo Lula assumiu a presidência. Minha satisfação com o governo deveria ser alta, não é?

Mas se eu começar a pensar da mesma forma que os tucanos? Meus impostos aumentaram, não é? E se eu não os pagasse? Poderia usar este dinheiro para uma boa viagem anual pela Europa? (Melhor baixar a bola pois sou professor, não deputado!).

Permissão para entrar em modo de pânico! Este pensamento a seguir poderá aterrorizar até os mais incrédulos!

E se com todo o crescimento e melhoria de renda, o povo começar a pagar mais impostos e pensar da mesma forma? O aumento dos salários e crescimento do país pode ter uma conseqüência desastrosa e impensada! O povo poderá então "atucanar", com o perdão da má palavra.

Será que vamos todos votar no PSDB e no DEM para cortar nossos impostos e cuspiremos no prato em que comemos? Se nós acharmos que não precisamos mais do governo para nada, por que não votar em quem diminui e destrói a presença do estado? Por que não ouvir o discurso do famosos neo-liberais? Virar a casaca e atucanar poderá parecer a melhor solução?

Meu deus! Acho que o pavor súbito da atucanização realmente me acometeu! Já estou até pensando nos sonhos das crianças da nova geração! Talvez no futuro próximo nossos filho dirão:

"Papai, quando eu crescer não vou votar no PT como o senhor fez não! Eu quero é ser bem rico para poder votar no PSDB!"

quarta-feira, 26 de março de 2008

Não tenho nada no IG para cancelar!

Sites na internet ganham dinheiro exclusivamente com anunciantes. Simples assim. Ao contrário de jornais e revistas, onde as pessoas pagam pelo conteúdo a ser lido, na internet só dá certo aquilo que é de graça.

Empresas que vivem da rede alimentam-se quase integramente de propaganda. Recebem de anunciantes, que querem obter exposição de seus produtos com impressões de páginas e cliques.

No Brasil há várias grandes empresas de conteúdo de internet. Uma das maiores é o Internet Group (IG). O conteúdo produzido pelo IG não é vendido a ninguém. Obrigam os leitores a aturar propagandas em todos os sites, para garantir a gratuidade dos serviços.

Dessa forma, a moeda de troca do IG com os anunciantes é o número de visitas que os sites hospedados têm em um determinado espaço de tempo. Blogs com muitas impressões trazem mais renda e lucro para a empresa.

Por isso, causa-se estranheza o fato do IG ter cancelado o Blog de Paulo Henrique Amorim, o Conversa Afiada, sob a alegação de que não era rentável para a empresa. A audiência, como mostrada na figura abaixo, é de mais de 3 milhões de impressões mensais!


Para se ter uma idéia do volume de renda que este site trazia para o IG, podemos considerar o exemplo do sistema de propaganda que possuo neste blog, o Google Ad-sense. Para cada 1000 impressões de minha página, o Ad-sense me dá 3 cents de dólar. Além disso, para cada pessoa que clica em qualquer um dos anúncios, recebo um retorno de 4 cents, e em torno de 5% das impressões geram pelo menos 1 clique, principalmente porque o Google sabe como direcionar a propaganda certa para o tipo de assunto e público do Blog.

Isso significa que se o Conversa Afiada empregasse este barateiro sistema de propaganda, ganharia por mês cerca de R$11300. O suficiente para pagar o salário de alguns jornalistas e revisores. O IG pode conseguir muito mais renda com anunciantes fixos, propagandas grandes como McDonalds, Ponto Frio, Submarino, Americanas, Brastemp, Casa e Vídeo, Magazine Luísa, Philips e outros, que aparecem nas páginas do IG diariamente.

O Conversa Afiada não possuía Ad-sense, ou seja, dispensava os 11 mil reais de renda adicionais. Isso significa que os anunciantes maiores deveriam pagar pelo menos, no barato, 25x mais pelos cliques e impressões da página.

Calculando-se então, a renda gerada pelo Blog deveria ser cerca de 280 mil reais mensais, ou 3.4 milhões anuais. Como o faturamento anual do IG é de U$30 Milhões, O conversa afiada representava 6% disso. Pode-se abrir mão de uma fatia tão grande sem mais nem menos?

Isso me força a acreditar que existe algo além de motivos econômicos na demissão de PHA. Talvez os assuntos de que tratava em seu Blog não fossem convenientes para alguns dos anunciantes, ou forças políticas forçaram o IG a tomar esta decisão, temendo represálias.

Como o site do PHA é um dos poucos da grande imprensa que fala mal de Serra, Dantas e FHC, acreditar que estas forças o derrubaram é uma boa possibilidade, pois são muitas as denúncias de ocorrências deste tipo.

PHA também era o maior nome a se opor abertamente ao estabelecimento da BrOi, junção da BrTelecom com a OI. O interesse do capital, por vezes, é muito mais forte que qualquer organização política.

O que fazer então em meio a isso? Na minha opinião devemos boicotar o IG e mostrar aos seus anunciantes que não toleraremos interesses políticos e econômicos mais fortes que o nosso direito a informação. Já não podemos confiar na TV, em revistas e jornais. Se não tomarmos cuidado, perderemos a internet.

Fiz minha parte, reclamei e levei esta opinião a varias pessoas. Não posso boicotar o IG mais do que faço, pois não tenho conta, não utilizo quaisquer serviços e agora não acesso nenhum de seus Blogs. Não tenho nada a cancelar! E vocês?

segunda-feira, 24 de março de 2008

Dengue e Maia

Você, caro leitor, já teve dengue?

Eu tive duas vezes, e embora nenhuma delas hemorrágica, todas foram de arrasar. Febre, dor de cabeça, fraqueza no corpo e outras mazelas te derrubam completamente. Mas não é sobre sintomas do dengue que quero escrever.

A maior epidemia de dengue no estado do Rio de Janeiro aconteceu em 2002, onde tivemos 129.920 casos registrados. O número de fatalidades, naquela época, era menor em comparação à epidemia atual. O risco de morte parece maior agora, mesmo com a epidemia 75% menor.

Ainda em 2002, o que mais me irritava na mídia era o sumiço das notícias sobre a epidemia. Estatísticas não eram sequer divulgadas. Não havia repórteres indo aos hospitais e reclamando como se vê atualmente no jornal da globo e nacional. Considerando que agora a epidemia é bem menor, o que mudou?

Não vamos chegar a conclusão precipitada de que a mídia está mais aplicada à realidade. O enfoque demasiado da Globo na atual epidemia de dengue, por mais justo que seja, parece estar ligado à tendência atual de atacar o prefeito Cesar Maia, além do objetivo constante de denegrir a imagem do Governador Sérgio Cabral e de Lula. Além disso, em 2002 havia um certo cuidado para blindar Serra, então candidato a presidente e ex-ministro da saúde.

Mas ainda sobre Maia, não vamos esquecer o episódio recente do IPTU, em que a Globo incitou a sociedade carioca a não pagar o imposto, em quase um mês de ataques e reclamações sobre a prefeitura.

Cesar maia e seus assemelhados estão há 12 anos no poder do Rio de Janeiro, por acaso o governo está pior agora em 2008 para justificar o início das reclamações?

De forma nenhuma! O descaso com o dengue, com a falta de manutenção nas ruas e o péssimo transporte público sempre foram marcas da administração de Maia. É só verificar que tivemos diversas epidemias maiores de dengue em 2002 e 2003. Volto a perguntar: o que aconteceu com a mídia?

Parece-me que Maia, do partido democratas, não tem mais a proteção da mídia como têm os tucanos Serra e Aécio. Será que proteção era parte do acordo de apoio histórico do PSDB ao DEM? Sabe-se que os democratas estão tentando seguir um caminho próprio de oposição de extrema direita, e o rompimento com os tucanos pode significar também perder a parte mais importante da política dos dois partidos - a mídia.

Sem o PIG, como diz Paulo Henrique Amorim, o DEM e Maia não possuem qualquer chance de sobrevivência. Não é como o governo Lula que possui bons resultados e resiste bravamente aos ataque da mídia. Sem o acobertamento da globo, os problemas da cidade aparecerão fortemente, e teremos a chance ímpar de mudar para melhor o governo aqui do Rio.

Quem sabe isso não venha em boa hora para evitar que eu tenha dengue pela terceira vez? Não custa sonhar...

Sobre este blog...

Este blog é sobre economia, sociedade, política, cultura e comportamento. No entanto é escrito por um Engenheiro em Telecomunicações, Mestre em Informática e Técnico de Eletrônica. Não sou economista, sociólogo, teólogo, artista ou cientista político, portanto assim como a maioria dos jornalistas da grande mídia, não tenho qualquer formação para "assinar embaixo" as bobagens que escrevo.

Também não caia na besteira de achar que este blog é imparcial, assim como qualquer outro veículo de comunicação. Não tenho o objetivo de oferecer visões neutras e equilibradas sobre os assuntos que escrevo. Quem lê este blog deve saber muito bem o que faz, não deve usá-lo como única fonte de informação ou mesmo basear suas decisões nos seus escritos.

Não se enganem! Minhas opiniões poderão até mesmo ser consideradas tendenciosas, mas nunca desonestas. Pelo menos todos que lêem este blog sabem disso, diferente de alguns jornais e revistas que vestem a camisa da imparcialidade mas todos sabemos os interesses que defendem.

E como serão as opiniões? Confira aqui mesmo!

- Políticamente inclinadas à esquerda moderada
- Anti FHC, Serra e PSDB (e quem não é?).
- Anti Globo e suas bobagens da mídia.
- Pró Lula e governista (por enquanto).
- Mais socialista que capitalista.
- A favor do ensino técnico.
- Contra privatizações.

Então estamos conversados! Quem não gostar que vá ler a Veja!