segunda-feira, 18 de maio de 2009

CPI da Petrobras: um duplo atentado ao Brasil

Esta nova CPI que se apruma em Brasília, e tem a Petrobras como alvo, é um grande atentado ao país. Ou melhor, na verdade são dois atentados.

Antes de desenvolver este tema, deve-se dizer que a estatal brasileira está mesmo sendo investigada pelo tribunal de contas da união (TCU) e foi alvo da operação castelo de areia da Polícia Federal (PF). Há indícios de fraudes na obra da refinaria de Abreu Lima em Pernambuco [1] e também possíveis irregularidades fiscais [2] no recolhimento de tributos como PIS, COFINS e CIDE, sendo inclusive alvo de questionamentos junto ao Ministério Público Federal (MP).

Isso então prova a necessidade de CPI? Não! Aí está o primeiro atentado contra o país!

Se forem verdadeiras as acusações de fraude e sonegação fiscal, o estardalhaço midiático só vai dificultar as investigações. Funcionários da Petrobras, das empreiteiras e das terceirizadas estão agora alertas para qualquer problema com o MP ou com a PF. Podem tentar destruir provas e maquiar evidências, caso existam, e desaparecer na confusão das contas públicas.

Algum funcionário da empresa que cometeu fraudes, tanto na Petrobras quanto nas contratadas, pode simplesmente apagar seus rastros sumindo com documentos e registros. Pode-se acabar apenas constatando má administração dos recursos públicos, ao invés de descobrirmos o pote de ouro, ou seja, quem cometeu os crimes mais graves como corrupção passiva, peculato e prevaricação [3].

Será que algum destes crimes realmente ocorreu? Não se sabe e desta forma temo que nunca se descubra. A CPI não serve para nada, pois quem comete este tipo de crime só é preso em grandes operações da PF, com provas documentais, gravações telefônicas e interceptação de e-mails e dados. Isso normalmente requer inteligência e tempo, muitas vezes anos para que provas sejam obtidas e para que os culpados sejam presos.

Arthur Virgílio e seus colegas tucanos podem esbravejar o quanto quiserem, pois não conseguirão qualquer objetivo senão espantar a verdade, dificultar investigações e impedir que os reais criminosos sejam pegos. Fazem esta CPI apenas como espetáculo eleitoral, e aí está o segundo atentado contra o Brasil.

A CPI tem apenas o pretexto de investigar a Petrobras. Na verdade, Tucanos e Demos querem causar problemas ao governo visando as eleições de 2010. Só que a petrobrás e seus acionistas acabam pagando a conta deste show. Nada mais injusto.

Enquanto a empresa estiver sendo investigada publicamente pela CPI, projetos e negócios serão mais difíceis de serem finalizados e novas ações muito provavelmente serão adiadas. Com isso, a Petrobras perde oportunidades, competitividade e sofre danos à sua imagem, ainda mais graves considerando-se os planos internacionais almejados pela estatal.

No final das contas, quem perde mesmo com a CPI é o povo brasileiro. Não saberemos quem eventualmente cometeu fraudes (atentado 1) e ainda traremos atraso aos planos brasileiros em ver a Petrobras com novas refinarias e explorando o pré-sal (atentado 2), conquistas tão importantes para gerar riqueza e distribuição de renda no país. Com uma simples decisão e um punhado de votos, os parlamentares do PSDB e DEM conseguiram parar várias partes de uma máquina multinacional e ao mesmo tempo desperdiçar recursos, arranhando a imagem do governo e da Petrobras. Que capacidade!

Nada mal para quem sempre teve a intenção de trocar o nome da empresa e vendê-la por qualquer trocado. Será que esta não é a verdadeira intenção deles novamente? Quem sabe não ouviremos na CPI uma manifestação da oposição dizendo "Viva a Petrobrax!" Parece familiar?

quinta-feira, 14 de maio de 2009

Serra e o porquinho!

Apenas meia-dúzia de grandes jornalistas e um punhado de blogs fala mal do ilustre governador de São Paulo, o Sr. José Serra.

Não é por falta de motivo. São Paulo tem, com certeza, um monte de falhas de administração que gerariam milhões de reclamações na mídia. Engarrafamentos, violência, desordem urbana, e problemas na saúde e educação são algumas das mazelas que atingem todas as capitais do Brasil, e São Paulo não é diferente.

Como Serra consegue diminuir ou impedir a veiculação de notícias danosas à sua imagem, sendo São Paulo tão cheia de problemas insolúveis, está além da minha compreensão. Este fenômeno ocorre em todos os portais de notícias, todos os jornais e revistas impressos, além da maioria dos programas de televisão.

Amizades na mídia, mensalão ou ameaças de demissão? Há certamente algum motivo que explique porque ninguém escreve um simples revés sobre o governador. Talvez o único grande jornalista com coragem para falar mal de Serra seja Paulo Henrique Amorin, que por sinal já foi demitido de um portal de internet.

Recentemente mais uma prova do fenômeno apareceu na internet. José Serra vai a um encontro com empresários do ramo de carne suína e dá uma aula sobre a nova gripe. Uma sabedoria de fazer inveja ao personagem Didi dos trapalhões ou ao Chapolin, e que está devidamente registrada em um vídeo no youtube.

Tão ridículos são os comentários de Serra que o vídeo virou um grande hit na internet. Você encontra fácil no youtube versões onde fizeram uma arte com porquinhos e uma musiquinha. Coloco aqui o vídeo do original sem cortes ou firulas, para uma análise mais profunda:



Depois de falar a besteira, de que o "espirro do porco" transmite a doença [SIC] e de que seria uma "boa idéia" não ficar "perto de porcos" [SIC], Serra até fala algumas coisas coerentes. Minha pergunta é, por que nenhum portal, jornal ou revista registrou esta grande gafe?

A folha, por exemplo, noticiou que o Serra foi "vítima" de uma edição na internet, referindo-se ao tal vídeo com a arte e a musiquinha dos porquinhos. Ora, que o vídeo editado é mais engraçado, isso sem dúvida, mas a bobagem falada por Serra não foi gerada artificialmente, foi ele mesmo quem disse.

Jornais e revistas correm para noticiar quando Lula comete gafes. Deixo aqui quatro links do jornal O Globo provando este fato. Em [1], Lula troca Obama por "Obrama" [SIC], em [2], Lula erra a história do morro da providência, em [3], Lula fala mal dos paraguaios e em [4], Lula troca a capital da Alemanha.

Sobre a bobagem de Serra, não há nada. Apenas um link do mesmo jornal em que Serra afirma que não há motivo para pânico com a gripe suína [5], como se ele fosse um grande conhecedor da causa.

Claramente, Lula não tem o mesmo tratamento a pão-de-ló que o governador do estado de São Paulo. Desafio a encontrar gafes de Serra no Globo, e a julgar pelo "espirro do porquinho", isso deveria acontecer mais frequentemente. O que faz este indivíduo gozar de tanta amizade e facilidades com a mídia?

Mas não tem nada não... para isso existem os blogs e a internet. Por mais que se tenha influências nos grandes jornalões e revistas, a internet democratiza a informação e tudo acaba chegando à público. A internet está sendo uma grande revolução para política brasileira, destruindo pouco a pouco a rede de intrigas que ainda vigora.

Pensando bem, isso faz deste blog quase uma utilidade pública. Estou registrando para a posteridade o que a mídia não faz, até mesmo o mais suíno espirro de nossos políticos.

segunda-feira, 11 de maio de 2009

Gabeira, o paladino cachorro-morto:

O último e mais fresco escândalo no congresso é a farra das passagens aéreas. O assunto foi amplamente comentado na grande mídia durante algumas semanas e assistimos a escandalização de diversos comentaristas do PIG.

Esperei um pouco para postar sobre isso até que o assunto estivesse um pouco morno, para não "chutar cachorro morto", mas como prevê o título, isso será inevitável.

De certo que é um absurdo. Deputados e senadores tem uma cota de caras viagens aéreas e podem usar como bem entender, oferecendo-as para a sua família e para terceiros, mesmo sem comprovar interesse público. Diversos deputados e senadores não sabiam explicar por quais motivos enviaram familiares, artistas e até mesmo desconhecidos para destinos como Nova York e Miami sem qualquer motivo político. Festa e farra, acredito eu...

Este não foi um escândalo do governo, mas como envolve alguns aliados, pudemos perceber novamente a típica escandalização seletiva da mídia. Sempre se dá maior destaque ao que o presidente Lula e qualquer aliado fez, sem direito a resposta ou defesa, enquanto a oposição goza de tratamento VIP, tanto da grande mídia quanto dos comentaristas reacionários que fazem parte dela.

O deputado Michel Temer, do PMDB aliado ao governo, fez turismo em Porto Seguro [1] com a família e terceiros, e teve sua vida política escancarada por diversos jornais. Justo? Sem dúvida. Acho que nada menos que a cassação de seu mandato, bem como ressarcimento dos custos indevidos ao cofre público poderia ser suficiente para remover mais esta mancha de corrupção que assombra o congresso.

Mas e quanto ao senhor Gabeira? Tema recorrente deste blog, o queridinho da mídia e da fictícia revista jornalistica conhecida como Veja não obteve semelhante tratamento. Embora tenha admitido o uso de dinheiro público para custear passagens aéreas a terceiros e familiares [2] [3], não foi obrigado e nem mesmo adequadamente questionado sobre quem foi o beneficiário destas. O PIG e seus comentaristas ficaram contentes com a explicação de que não informaria nomes para proteger a privacidade das pessoas, ainda citando a pérola de que "estas não sabiam que a concessão era irregular".

Brincadeira! Gabeira era considerado, não por mim, mas pela mídia, um paladino da justiça. Sua candidatura a prefeito do Rio de Janeiro era baseada na lisura e no combate à corrupção, mostrado diversas vezes em seu horário eleitoral nos vídeos em que discutia com Severino Cavalcante. Não se podia esperar que Gabeira estivesse envolvido nisso, e ainda desse desculpas capazes de deixar Eurico Miranda escandalizado.

Não querer informar nomes é um absurdo sem precedentes. Fui eu que paguei estas passagens, eu e todo mundo que paga imposto de renda. Quero saber quem foram os beneficiários e não me interessa se estavam cientes ou não da ilegalidade. A mídia tem que deixar de se escandalizar seletivamente, tem que parar de buscar virgulas nas palavras de Lula para fabricar crises, e olhar para o próprio umbigo, para seus queridinhos que tudo podem.

Acreditem vocês que mesmo depois deste incidente a mídia perdoou Gabeira e continua a mostrar que o paladino está a atacar a corrupção com fúria. Usando o espaço gentilmente cedido e floreado pelos analistas do PIG, recentemente publicou-se que ele é o principal articulador de uma mudança para acabar com a cota de passagens aéreas [4], e que vai devolver o dinheiro gasto indevidamente [5]. Ampla defesa, espaço, ajuda e acobertamento, que o presidente Lula nunca sonhou ter de ninguém na mídia nos episódios do uso dos cartões corporativos ou durante o caô [sic] aéreo.

Ninguém no PIG admitiria qualquer mínimo deslize de Lula e do PT, mas seus queridinhos passam batido pelos jornais, tentando explorar o esquecimento. Mas eu sou chato, e se antes deste acontecimento já falava mal do ex-militante da ditadura, ex-defensor da maconha e ex-incorruptível, agora fica até fácil, como chutar cachorro morto.